Saiba quem é o homem que fez jovem e criança reféns em Belo Horizonte


BELO HORIZONTE| Leandro Mendes Pereira, de 39 anos, foi o responsável por manter em cárcere privado durante 15h uma criança de 7 anos e um jovem de 23 anos entre esta quarta-feira (21/09) e esta quinta-feira (22/09). De acordo com familiares, ele era primo de 1º grau da ex-namorada que era o alvo do suspeito. O criminoso já tem histórico de violência e foi condenado por outro feminicídio.


O crime ocorreu em 2008 e a vítima foi encontrada morta dentro da própria casa no bairro Maria Goretti, região Nordeste de Belo Horizonte, nua, com um pano enrolado no pescoço e com um rato dentro da própria boca. Pereira foi condenado a 14 anos de prisão em maio de 2011.


Conforme a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sejusp), ele ficou preso entre junho de 2008 e junho de 2016, quando recebeu alvará de soltura expedido pela Justiça.


O feminicídio ocorreu por ele não aceitar o fim do relacionamento com a mulher. Dessa vez ele também não aceitava o término e queria matar a ex.


Familiares de Pereira afirmaram que o namoro dos dois era conturbado. O casal estava junto desde que a mulher estava grávida do menino de 7 anos, uma das vítimas do sequestro.


“Ele também não é essa pessoa ruim que estão falando não. Ele cuidou dela e cuidou do menino, só que infelizmente deu isso ai”, disse uma tia do suspeito.


Sobre já ter cometido outro feminicídio, a tia disse que o sobrinho tinha se redimido.

“Ele pagou a pena dele e estava na igreja evangélica. Cuidou dela (da ex-namorada e prima), cuidou do menino dela, que o pai não paga pensão, quem cuidava do menino era ele”, complementou a tia.


O casal tinha terminado o relacionamento há cerca de dois meses e a tia disse que tinha conversado com o sobrinho na quarta-feira (21/09).

“Ele disse que estava disposto a fazer tudo. Ele falou que não ia deixar ela livre não. Ele queria saber o motivo da separação”, contou. Ela ainda defende que Pereira era trabalhador.


No perfil de Facebook do rapaz há poucas informações sobre ele. Uma delas é que ele trabalhava com arte em cimento.

O suspeito tem uma foto onde estaria tocando piano e em outra imagem, que está atualmente em seu perfil, há um texto com frases como: “a vida é curta para se perder tempo com uma existência medíocre e pequena. A vida é curta para que se tenha uma família que não se ame”.