Loja da grife 'Reserva', coloca boneco preto como manequim na vitrine de Shopping em Salvador


SALVADOR| A grife de roupas Reserva, que tem como um dos sócios o apresentador Luciano Huck, foi acusada mais uma vez de racismo. Uma das lojas, localizada no Shopping Barra, um dos mais elitizados de Salvador, colocou em sua vitrine um manequim preto quebrando a vidraça. A imagem foi registrada na ultima segunda-feira (14) por um funcionário do shopping, que não quis se identificar. Segundo ele, muitas pessoas que passavam na frente comentavam que o boneco parecia estar arrombando ou invadindo a loja.


A foto viralizou nas redes sociais e internautas acusaram a loja de estar sendo racista: "É inconcebível a população negra continuar sendo violentada dessa forma. Isso continua acontecendo porque o Brasil não tem compromisso com a pauta racial e não trata isso como uma questão importante. Colocou um manequim preto quebrando a vidraça do estabelecimento como se estivesse invadindo. Isso é racismo escancarado, nem sei como reagir", escreveu a influenciadora Ashley Malia.





"Não é a primeira vez que eles fazem alguma m….", comentou a irmã de Marielle Franco, Anielle.


Em 2016, a grife carioca colocou manequins negros de cabeça para baixo na vitrine, com os pés amarrados por cordas. A campanha foi montada no Shopping Rio Sul, no Rio de Janeiro, e considerada ofensiva pelo público.


Em nota a Loja se pronunciou sobre o ocorrido:


A vitrine “Loucuras pela Reserva” com o boneco entrando pela parte de fora da vitrine (o mesmo sempre usado normalmente do lado de dentro da vitrine) jamais teve como objetivo ofender qualquer pessoa ou disseminar ideias racistas e sim de somente divulgar a liquidação da marca.

No entanto, se mesmo sem intenção, a vitrine ofendeu a alguém comunicamos aqui que ela será imediatamente desmontada. Acreditamos na empatia como única forma de viver em sociedade e repudiamos o racismo em todas as suas formas de expressão. A diversidade e inclusão são valores essenciais de nossa marca.