Ex- Bolsonarista Gabriel Monteiro, entrega renúncia de candidatura ao TRE-RJ


RIO DE JANEIRO| Há poucos dias para as eleições deste ano, e vários dias fazendo campanha nas ruas sem sucesso, isolado de seu partido, o ex-vereador Gabriel Monteiro (PL), aliado e amigo da família Bolsonaro, resolveu jogar a toalha, após o TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) decidir que ele não poderia concorrer nas eleições deste ano, o youtuber e ex-policial militar entregou no plantão deste sábado (10/09) ao Tribunal sua renúncia da corrida eleitoral.


Monteiro poderia recorrer da determinação, mas preferiu renunciar. Ele alegou desistir do pleito para deputado federal por 'motivos pessoais'.


Ele foi cassado do cargo de vereador em agosto, os colegas dele entenderam que ele faltou com decoro e ética diante das denúncias de estupro, assédio sexual e assédio moral, além de uso do cargo para alavancar seu canal no Youtube.


Com a cassação, Gabriel Monteiro se tornou inelegível por oito anos.


Como foi o processo


A decisão do TRE-RJ foi tomada em resposta a uma impugnação feita pelo candidato a deputado federal André Barros (PSOL-RJ) com base no processo de cassação na Câmara Municipal do Rio.


O candidato do PSOL apresentou a impugnação no dia 5 de agosto, com base no relatório que pediu a cassação do vereador.

O candidato não esperou a data de votação da cassação no plenário para não perder o prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para impugnações. Todo o pedido foi feito com base no relatório produzido pelo vereador do Rio e relator do processo contra Monteiro, Chico Alencar (PSOL).


No dia 19 de agosto, o presidente da Câmara Municipal do Rio, Carlo Caiado (sem partido), enviou à Justiça Eleitoral o ofício da perda de mandato de Monteiro "por conduta incompatível com o decoro parlamentar".