Em entrevista: Cantor Vitão fala sobre prazer anal: 'Tenho descoberto meu corpo cada vez mais'



RIO DE JANEIRO| O cantor e compositor paulistano Vitão de 22 anos, demonstra estar cada vez mais disposto a falar sobre assuntos que envolvem sua sexualidade. Em entrevista recente para revista "Quem", o cantor refletiu acerca da importância de entender o próprio corpo e das infinitas possibilidades de sentir prazer, inclusive, a anal.


"A gente fala muito pouco e ainda é um tabu gigantesco. Desde sempre a gente entende que se alguém passar perto do nosso c*, já é rotulado de alguma coisa", desabafou o artista. "Eu tenho descoberto meu corpo cada vez mais, o prazer de formas infinitas.


Podemos sentir prazer de muitas formas e não só sexualmente. Mas a gente se prende ao sexo heteronormativo, homem, mulher, penetração e gozou. Acabou", afirmou, explicando que tudo ligado às manifestações heterossexuais é considerado correto e o que foge à regra acaba sendo demonizado.


"A zona de mais prazer no homem é a próstata. Por que a gente esconde isso de si mesmo? Por que a gente não pode falar sobre isso? É só sentir prazer e f*da-se. Isso não te encaixota em nenhum lugar", disparou.


"Eu tenho buscado poder falar sobre essas coisas abertamente, quebrar esses lugares que a gente insiste em se colocar. Falar para os meninos, estabelecer uma relação direta com quem me acompanha", contou.


"Irmão, você pode se vestir do jeito que quiser, você pode sentir prazer com a sua próstata, você pode falar da forma que quiser e isso não tem que te rotular de forma nenhuma", aconselhou o cantor.


Recentemente, Vitão criticou a postura daqueles que tentam atacá-lo, relacionando pejorativamente a homossexualidade à sua mudança estética.


"Eu sou músico, para quem não sabe, lancei uma música, inclusive, e está todo mundo falando só sobre se eu sou gay ou não, ao invés de ouvir minha música. E talvez ouvindo minha música você entenda muito mais a verdade", desabafou, referendo-se ao lançamento de "Declaração".


"Esse é meu questionamento. Só quero gerar debate e discussão, é isso que os artistas fazem. Que a gente possa ser cada vez mais livre como ser humano", desejou.