Desespero, dinheiro e drogas foi o real motivo do vigilante ter assassinado a servidora do TRT-AM



MANAUS| A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prendeu e apresentou o latrocida Caio Claudinho de Souza de 25 anos, responsável pela morte da servidora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Silvanilde Veiga. A prisão aconteceu após dez dias do assassinato, o criminoso trabalhava como vigilante em um condomínio vizinho da vitima. Ele chegou à sede da especializada na tarde desta terça-feira (31/05) e foi levado para o interior da delegacia onde foi interrogado. Após algumas horas, ele esclareceu a real motivação que vitimou a servidora Silvanilde Veiga de 58 anos.


Motivação-

Segundo a polícia, Caio de Souza, trabalhava como vigilante em outra torre do condomínio, estava no prédio de Silvanilde dando suporte aos demais colegas vigilantes, pois naquele dia estava acontecendo várias festas internamente.


Na saída da Especializada, Caio pediu desculpas a família, estava se sentindo envergonhado pelo que fez. No inicio chegou a declarar que foi um 'acidente', e após conversas na parte interna da delegacia, pediu para falar com a imprensa e esclarecer a motivação do crime.


O crime-

Segundo o criminoso, ele chegou por volta das 14h na torre para dar suporte aos demais colegas, pois na tarde do sábado estava ocorrendo três festas realizadas por moradores.

Ele empolgado passou a usar drogas, em um banheiro do prédio, e naquele momento recebeu uma mensagem da esposa que estava pressionando-o para que arrumasse dinheiro pois o filho estava passando necessidade, e foi quando em momento de desespero cometeu o crime. Ele alegou também que não conhecia a vitima e nem familiares próximos. Tudo foi aleatório.


As investigações dão conta que o crime ocorreu entre 17:40 até as 18horas. No dia do crime, Caio estava sob efeitos de drogas ele já estaria com uma faca, nas dependências do condomínio.

Quando os vizinhos dos andares posteriores reclamaram que estavam ouvindo marteladas vindo de outros apartamentos, foi quando Caio, aproveitou a oportunidade e subiu entre o 13º e os 15º andares do prédio.


Nessa oportunidade que durou 13 minutos, Caio chega a bater em várias portas dos moradores aleatoriamente, é quando a servidora aparece por acaso para fazer algo externo, como jogar 'o lixo', já com o seu aparelho celular na mão, vestida de roupa que usava em casa, quando o criminoso viu a oportunidade, encurralando a vitima.


Antes de vitimar a servidora, o criminoso pede que ela faça uma transferência bancária via 'PIX', mas ela nega a solicitação, alegando não ter dinheiro, é quando ele ataca a vitima., pois queria consumir mais drogas.


Já dentro do apartamento eles tem uma luta corporal, ele dar um golpe que a leva ao chão. Após desferir 13 golpes de faca e punhal, ele furta o aparelho celular modelo Iphone 11.

Antes de sair do prédio, ele se lava, enrola a camisa, põe embaixo do braço e sai do local em uma motocicleta de uso do trabalho, isso já por volta das 18h, como mostram vídeos internos.


Na saída do condomínio, muito nervoso, pára em uma loja de conveniência, com medo de deixar provas do crime, resolve pegar um carro por aplicativo e se desfaz do celular da vitima nas proximidades de um hipermercado da zona centro oeste de Manaus, onde já é a hora da troca de turno, dos outros colegas.

Retornando para sua casa no bairro Coroado, zona leste, ainda sob efeito de drogas, é confrontado por estar sujo de sangue, ele alega que sofreu uma acidente no ônibus.


Caio, segue para exames no IML, após as tratativas foi encaminhado para o Centro de Triagem do Sistema Prisional do Estado onde ficará a disposição da justiça.


Vídeo mostra o vigilante no condomínio-

Um vídeo de circuito de segurança registrou o momento que Caio Claudino de Souza, saiu do condomínio onde ocorreu o crime. No vídeo, registrado pela segurança do condomínio, é possível ver o homem deixando o local às 18h05 do (sábado) dia 21 de maio, mesmo dia que o corpo da vítima foi encontrado. Na manga da camisa do homem há supostamente marcas de sangue.





O corpo de Silvanilde Ferreira Veiga foi encontrado pela filha por volta das 22h30. A perícia constatou que a vítima foi vítima de agressões físicas e tinha várias facadas pelo corpo. Conforme a ocorrência, a filha foi ao apartamento e encontrou o corpo da mãe de bruços em uma poça de sangue.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, onde ela já estava sem vida.