Criminosos roubam comércio e, matam Sargento da Polícia Militar na zona leste de Manaus


MANAUS| Após três mortes consecutivas de jovens nas zonas: leste, sul e centro-sul e que tinham em comum a idade: entre 20 a 25 anos, vidas essas perdidas para o domínio de pistoleiros faccionados; esses crimes ocorreram desde a madrugada da última sexta-feira (11/11), até o final da noite- a cidade de Manaus não teve mais paz. Para fechar o plantão da noite, na zona leste mais um trabalhador caiu nas mãos de assaltantes criminosos, a vítima, um sargento da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), Manoel Altemar Pinho Gondim, de 43 anos, foi assassinado à tiros, após reagir a um assalto, o crime ocorreu na rua: 17, bairro São José II, zona leste de Manaus.


A DINÂMICA DO CRIME- As primeiras informações repassadas pela PM, são que Manoel chegou ao comércio, a esposa e dois filhos ficaram dentro do carro enquanto ele foi comprar carvão, em seguida, tentou impedir um assalto que estava acontecendo.

Os assaltantes ao serem surpreendidos pela abordagem do PM, atiraram cerca de 15 vezes contra ele. O carro da família também foi atingido com os disparos, felizmente ninguém ficou ferido.


Após o crime, os criminosos fugiram do local em uma motocicleta e levaram a arma da vítima. O sargento da PM ainda chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, mas não resistiu e morreu na unidade.

O local, onde funcionava o comércio e ocorreu o crime é considerado 'área vermelha', dominado pelo crime e tráfico de drogas.


O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para fazer a remoção do corpo. O crime, segue a ser investigado pela Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A vítima era lotado no município do Careiro da Várzea.



NOTA-

Por meio de uma nota, a Associação das Praças da Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas (APPBMAM) externou o pesar pelo falecimento do sargento Manoel Gondim e exigiu que todas as medidas sejam tomadas pelas autoridades policias para que a Justiça seja feita.



Veja o momento da ação dos criminosos-