Canadenses antivacinas bloqueiam capital pelo segundo dia


INTERNACIONAL| Dezenas de caminhões e outros veículos bloquearam o centro da cidade de Ottawa pelo segundo dia depois que milhares de pessoas se dirigiram à capital do Canadá no sábado para protestar contra o primeiro-ministro Justin Trudeau e a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19.


Os caminhões permaneceram estacionados nas ruas perto do parlamento na manhã deste domingo, um dia antes de os congressistas retomarem os trabalhos após o feriado. Alguns caminhoneiros disseram que não vão sair até que a obrigatoriedade seja derrubada.


Milhares de manifestantes se reuniram pacificamente no sábado, embora alguns incidentes tenham causado polêmica. Um manifestante que foi filmado dançando sobre o túmulo de um soldado desconhecido e o aparecimento de bandeiras com suásticas provocaram revolta nas mídias sociais, e um shopping no centro da cidade fechou as portas porque os protestantes se recusaram a usar máscaras.


A manifestação começou como um protesto contra a exigência de vacinação para motoristas transfronteiriços, mas se transformou em um ato contra o governo Trudeau com uma forte tendência antivacina.


"Estas grandes multidões permaneceram no centro da cidade durante toda a noite", disse a polícia de Ottawa em comunicado. "Os policiais encontraram vários obstáculos, incluindo bloqueios esporádicos de estradas por caminhões. Essas situações de alto risco foram resolvidas de forma pacífica e sem prisões".


Devido a preocupações com segurança, Trudeau e sua família deixaram sua casa no centro de Ottawa no sábado, informou a CBC (Canadian Broadcasting Corp). No início desta semana, Trudeau disse que o protesto representava uma "pequena minoria marginal" que não representa as opiniões dos canadenses.


Cerca de 90% dos caminhoneiros transfronteiriços do Canadá e quase 79% da população receberam duas doses. O Canadá está agora no meio de um aumento nos casos da variante Ômicron, o que está sobrecarregando hospitais.


Em um comício no Texas no sábado, o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, elogiou os manifestantes canadenses por "resistir bravamente à obrigatoriedade sem lei". Na semana passada, o presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, também expressou seu apoio aos protestos.