Café à base de caroço do açaí é produzido no Amazonas



AMAZONAS| Os fãs de café ganharam uma nova formulação da bebida, projeto apoiado pelo Governo do Amazonas, por meio da Fapeam, uniu sustentabilidade e inovação ao produzir um café, a partir de caroços do açaí. Chamado de “Cafessai da Amazônia” o produto é ideal para pessoas que buscam uma alimentação saudável com zero cafeína e glúten, além de ser rico em nutrientes.



O projeto é apoiado pela primeira edição do Programa Centelha Amazonas, realizado pelo Governo do Estado, via Fapeam, em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), voltado para estimular o empreendedorismo inovador e a geração de empresas de base tecnológicas, a partir da transformação de ideias inovadoras em empreendimentos que incorporem novas tecnologias aos setores econômicos estratégicos do Amazonas.

O novo conceito de café foi pensado diante do desperdício de caroços de açaí e na possibilidade de desenvolvimento sustentável que o produto poderia trazer para a região. O item é elaborado numa produção artesanal, com sementes de açaí torradas e moídas, com sabor e aspecto similares ao café.




Segundo a coordenadora do projeto, a empreendedora Ângela Maria Rocha, o caroço do açaí é rico em cálcio, cobre, ferro, fósforo, magnésio, manganês, potássio e zinco, além de apresentar baixo valor calórico, podendo ser consumido quente ou gelado.

“Nosso objetivo é apresentar ao público nacional e estrangeiro um produto natural, proporcionando satisfação nas diferentes formas sensoriais, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do país, através de práticas ecologicamente corretas e economicamente viáveis.

O café de açaí veio para valorizar esses resíduos, possibilitando destinação mais adequada, melhorando a economia da região e transferindo renda extra aos produtores e batedores de açaí”, disse.

O produto já pode ser encontrado em diversos empórios de Manaus, além de ser comercializado em sites parceiros para todo o Brasil, e exportado para outros países.

“Começamos com um sonho, hoje temos um propósito de levar os sabores da Amazônia para o mundo. Temos lojas parceiras no interior do Amazonas, e nos estados de Roraima e Rondônia”, comemorou.

Conforme a empreendedora, para atrair o mercado, a empresa também está em busca da certificação orgânica, com meta de firmar parcerias, além disso, o apoio do Governo do Amazonas, por meio Fapeam, transformou o seu empreendimento, uma vez que o recurso do Centelha possibilitou projetar e expandir o negócio.

“A Fapeam veio nos proporcionar mais do que um aporte financeiro, nos fez fazer uma imersão no mundo do conhecimento, incentivando, ensinando, questionando e aprimorando os propósitos do negócio, assim como nos dá a oportunidade de participar de eventos para adquirir conhecimento e fazer novos negócios”, disse.

Centelha 2 - Para fomentar ideias inovadoras no Amazonas o Programa Centelha 2 recebe inscrições on-line e gratuitas até 16 de março, por meio do site: https://am2.programacentelha.com.br.


O edital irá apoiar 50 propostas de inovação com até R$ 60 mil, por projeto, para a geração de empresas de base tecnológicas, além de ofertar Bolsas de Fomento Tecnológico Extensão Inovadora concedidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

“Para o nosso negócio este Programa Centelha faz jus ao seu nome de turbinar os negócios com melhores recursos, o que nos ajudará a levar os sabores da Amazônia para o Mundo”, finalizou a Ângela Maria.


Confira o edital do Programa Centelha II Amazonas:


http://www.fapeam.am.gov.br/editais/edital-n-o-0142021-programa-nacional-de-apoio-a-geracao-de-empreendimentos-inovadores-programa-centelha-2/